Monumento em homenagem aos pracinhas da FEB de Tatuí

O monumento em homenagem aos pracinhas da FEB de Tatuí que lutaram na Segunda Guerra Mundial está juntamente com o pavilhão das bandeiras nacional, estadual e municipal.

Inaugurada em novembro de 1990, na gestão de Wanderley Bocchi, o obelisco, concebido por Joaquim da Silva Campos, apresenta na parte central a representação de um olho de ciclope fixado no firmamento, que significa a esperança de melhores dias. O olho de ciclope é da mitologia grega. Os dois elementos laterais, duas mãos saindo do solo tatuiano, com os braços abertos no sentido de oração, agradece a Deus a volta de seus filhos e suplica para que cessem as guerras e a paz venha a reinar entre os povo. Esse monumento, presta homenagem aos vinte pracinhas tatuianos que lutaram na Europa, a fim de garantir democracia, liberdade e igualdade entre os seres humanos.

Expedicionários de Tatuí e região lutaram na guerra, considerada uma das páginas mais sangrentas da história recente da humanidade, que durante os seis anos de conflito, dizimou a vida de 50 milhões de pessoas. Um dos expedicionários de Tatuí, José Fernandes da Silva, o Juquita, morreu em combate no dia 29 de abril de 1945, na batalha de Collechio, na Itália, quando servia o 6º Regimento de Infantaria de Caçapava. O Obelisco contem a seguinte mensagem: “tributo de respeito e reconhecimento aos ex-combatentes tatuianos da FEB – Força Expedicionária Brasileira – que, na 2ª Guerra Mundial, com heroísmo e destemor, defenderam nos campos da Itália, os ideais de democracia e liberdade”. Em seguida, aparecem os nomes de Alcides Gianoti Ferrielo, Amador Vieira, Antônio Moroni, Benedito “Ramona” Araújo, Benedito Mendes de Almeida, Bolívar Conceição, Evilásio Camargo, Florindo Antunes Machado, Francisco Matias, Francisco Mendes da Costa, Frank Barbosa Carneiro, João Arruda Rodrigues, João de Oliveira, João Soares de Oliveira, Joaquim Bueno de Souza, José Fernandes da Silva, Paulo Lopes Rolim, Reinaldo Rolim, Roque Rosa e Silvio Silvério de Lima.