Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Fátima

Tempo de leitura 2 minutos

A história se passa no ano de 1958, no antigo Bairro dos Oliveiras, hoje chamado de Santuário de Fátima. Viviam ali seu Salvador Nunes e sua esposa D. Benedita, já com três filhos; e sua irmã Edwirges, que logo se tornou a madre Querubina.

O casal vivia no arrendamento das terras do pai de Dona Benedita, em situação difícil, investiam tudo o que tinham em tratamentos médicos para curar umas das filhas chamada Maria José Aparecida Nunes de Oliveira, conhecida como Lia. Depois de muitas tentativas e decepções, seu Salvador ficou sabendo da vinda da imagem da Virgem peregrina Nossa Senhora de Fátima a Tatuí e decidiu visita-la. Aos pés da santa, havia uma caixa lacrada, onde eram depositados os pedidos, que iriam para Portugal e só lá seria aberta. Depositou nela seu pedido de ver a filha curada, fazendo uma promessa quase que impossível de se realizar, pois eles não tinham condições financeiras. Se fosse atendido e recebesse a graça de ter a filha curada, iria até Portugal buscar uma imagem da Virgem, igual à que veio a Tatuí. Depois que sua filha recebeu a cura, seu Salvador passou a fazer a novena do Sagrado Coração de Jesus e para Nossa Senhora de Fátima para conseguir um pedacinho de chão.

Ele conseguiu o dinheiro para comprar esse terreno, pagou 45 contos. Com o terreno comprado, trabalhou muito e conseguiu realizar seu sonho e pagar sua promessa. Para trazer a imagem de Nossa Senhora de Fátima de Portugal, pediu ajuda a sua irmã, que já era madre Querubina, que fez contatos em Portugal e mandou fazer a imagem. O escultor, porém, queria saber se faria Nossa Senhora de Fátima de mãos abertas ou arrumadas. A resposta veio para seu Salvador em um sonho: ele acordou com as mãos arrumadas.

A Imagem de Nossa Senhora de Fátima mede 1,10m de altura e é feita de cedro brasileiro, escultura de primeira mão com a melhor pintura a óleo e ouro fino. Foi despachada de Portugal para o Brasil no navio Bela Cruz. No dia 16 de outubro de 1960, a imagem chegou ao Santuário. Em 2 de fevereiro de 1961 foi colocada a primeira pedra (fundamental) importante para a igreja. Hoje a igreja está construída, com a linda e maravilhosa imagem que veio de Portugal, que em seu pedestal abençoa a todos do bairro e aos peregrinos que ali veem para pedir ou agradecer. Tudo isso devemos a um homem simples, que com muita fé, levantou uma Igreja e juntamente com ela, uma comunidade viva e transformadora. Há também a Sala dos Milagres construída em memória a Madre Querubina.

Localização: Rod. Senador Laurindo dias Minhoto, Bairro Santuário
Telefone: (15) 99613-5370 – Visitação gratuita. De Segunda a Domingo das 7h às 18h

Capela do Divino

Tempo de leitura < 1 minuto

Inicialmente uma pequena capela particular onde aconteciam as tradicionais festas do Divino, e utilizada por escravos alforriados.

Localização: Rua 15 de Novembro, 930 – Centro
Visitação de Segunda a Domingo das 7h às 19h (Missa às quartas-feiras às 19h30)

Igreja Matriz Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Tempo de leitura 2 minutos

No ano de 1829, Nossa Senhora da Conceição passa a ser a Padroeira de Tatuí, ano este que o Bispo Dom Manoel Joaquim Gonçalves de Andrade de São Paulo, deu licença para construção da Igreja que somente foi iniciada em 1884 ano de colocação da pedra fundamental da igreja, cuja solenidade foi presidida pelo tatuiano Cônego João Clímaco de Camargo.

A Santa Padroeira tem esse título litúrgico e é celebrada no dia 08 de dezembro. A festa de Nossa Senhora já existia no calendário romano, mas o dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora foi proclamado pelo Papa Pio IX em 1854 com a bula Ineffabilis Deus.

A Igreja com porte e estilo de catedral preserva detalhes arquitetônicos do século XIX. Os afrescos existentes em seu interior foram pintados pelo pintor piracicabano Mário Tomazzi, e impressiona pela beleza e estado de conservação. A Igreja Matriz foi a primeira obra da cidade a utilizar tijolos cerâmicos.

Em 4 de dezembro de 1927 foi inaugurado o relógio que está na torre da Igreja.

Em 8 de dezembro de 2006, foi eleita pelo povo como Patrimônio Histórico e Cultural da Cidade. No dia 9 de junho de 2007, foi assinado pelo então, prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo o decreto de tombamento da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, que passou a integrar o conjunto de prédios históricos do município.

A Igreja passou com grandes reformas no decorrer dos anos, e na comemoração dos seus 180 anos, o Padre Milton de Campos Rocha, fez o pedido a Diocese ao Bispo Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto para sua elevação a Santuário, onde foi concedida no dia 8 de dezembro de 2009.

O prédio é tombado pelo patrimônio histórico é considerado verdadeira relíquia da história da cidade.

Localização: Praça da Matriz, Centro
(15) 3251-4090 – Horários de Missas: Segunda a Sexta 7h, Quarta-feira 12h, Sexta-feira às 15h, Sábado às 8h e às 19h30 e Domingo às 8h, 11h e às 19h (fechado para visitação apenas nas segundas-feiras)

Capela de São João do Bemfica

Tempo de leitura 2 minutos

A Capela de São João do Benfica é o local onde surgiu o primeiro povoado de Tatuí, por volta de 1823, segundo registros históricos. Segundo o historiador Renato Ferreira de Camargo, a povoação de ‘Nossa Senhora Del Populo’ surgiu simultaneamente à fundação da Fábrica de Ferro do Ypanema, pelos irmãos Cabral, Manoel Fernandes de Abreu e Martins Garcia Lumbria. A povoação, pertencente ao distrito de Sorocaba, originou, mais tarde, a cidade de Tatuí.

Sabendo das atividades religiosas em Ipanema, a igreja transferiu o título de paróquia a uma capela construída pelo povo no sítio e povoado de ‘Tatuhú’. São João do Benfica foi condecorada com título de paróquia em 1818. No mesmo ano, os moradores de Tatuhú construíram nova capela, denominada São João Batista, no bairro do Benfica. Em 19 de agosto de 1817, o território de São João de Ypanema foi desmembrado de Sorocaba, e nele criada uma paróquia, tendo por matriz a capela de São João, de propriedade da fábrica de ferro. Em 22 de fevereiro de 1823, o padre Gaspar Antonio Malheiros, que assumira a capela dois anos antes, escolheu o território de Ypanema para a construção da igreja matriz. A imagem de São João Batista, porém, foi retirada pelos moradores de Tatuhú e colocados por eles numa capelinha do bairro. A capela foi reconstruída em 1970 por Laurindo Dias Minhoto, ano em que ele encontrou nos campos do Benfica uma velha cruz de madeira e, sob a qual, mandou construir a capelinha de palhas de indayá. Em sinal de protesto à decisão do padre – em transferir a matriz -, os moradores batizaram a capela de São João do Benfica, indicando que ali, onde Tatuí nasceu, deveria ficar a paróquia.

A Capela foi reconstruída em 1926, durante o governo Norman Bernardes, e reinaugurada com missa solene no dia, em comemoração ao centenário de Tatuí. Em 1971, foi reformada na gestão do prefeito Orlando Lisboa de Almeida.

Restaurada em 1999, com mão-de-obra da Prefeitura Municipal e doação de parte do material pela comunidade.

Localização: Estrada Municipal Moises Martins Km 4, Distrito de Americana
Telefone (15) 3259-4135 – Departamento Municipal de Turismo
Visitação com agendamento prévio