Portal Turístico de Tatuí

Tempo de leitura < 1 minuto

O Portal da Cidade está localizado na entrada de Tatuí na Avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali, conta com uma referência especial ao nosso merecido título de “Capital da Música”.A construção do Portal de Tatuí foi uma parceria com o empresário Frederico von Ihering Azevedo, do Polo Industrial de Tatuí e do Grupo von Ihering. O projeto arquitetônico e paisagístico é do Arquiteto Sergio Gonzalez.

Localização: Avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali

Fazenda Maria – Ervas Frescas

Tempo de leitura < 1 minuto

A Fazenda Maria é uma empresa familiar, que tem a intenção de melhorar a qualidade do cultivo no Brasil, através de métodos sustentáveis e manejo orgânico, proporcionando saúde e bem-estar à mesa de nossos clientes. A fazenda Maria é contra o uso de produtos tóxicos, prezam pelo manuseio de produtos artesanais. Na Fazenda cultivam-se o Manjericão Thailandês (raríssimo no Brasil). O local também está incluído na Rota dos Balões e é ideal para eventos gastronômicos e para o Turismo Rural.
Localização: Bairro Guarapó, Tatuí
Telefone (15) 3284-3215.
Site: fazendamaria.net
Atendimento de Segunda a Sexta das 7h às 17h

Solar Ambiental Quim Quevedo

Tempo de leitura < 1 minuto

Recreação Pedagógica e Ecológica – Day Camping ou Pernoite
Centro recreativo situado em Tatuí a 140 km de São Paulo.
Localizado a 140km de São Paulo. Com uma área de 7 alqueires, o Solar Ambiental Quim Quevedo possui estrutura de esportes, lazer, diversão para todas as idades.
O sítio tem administração voltado para acampamentos cuja a essência é voltada para a natureza. Possui 169.000 m² de área ambiental com piscinas e lagos, campo de futebol, salão de jogos, toboágua, trilhas ecológicas, casa da árvore, ponte pênsil, passeio de barco, de caiaque. Infraestrutura com Salão para eventos com capacidade de 300 pessoas. Cozinha Industrial, alojamento e refeitório para 120 pessoas para receber grupos com conforto, higiene e segurança, oferecendo muitas opções de lazer e estudo do meio ambiente. O acampamento foi pensado nos mínimos detalhes por uma equipe multidisciplinar. Oferecemos atividades educativas e espaços preparados, sempre respeitando as necessidades específicas de cada faixa etária. Além de escolas, o Solar Ambiental Quim Quevedo também recebe com exclusividade grupos fechados de empresas, igrejas, clubes e famílias.

Localização: Est. Municipal Antônio Lopes, Jardim América.
Telefone: (15) 99705-6883 – Informações e Reservas.

Sítio Santa Rosa

Tempo de leitura < 1 minuto

O Sítio Santa Rosa é um acampamento educativo, que desenvolve o Turismo Rural Pedagógico desde 2003 para crianças da Educação Infantil até o ensino Fundamental I. Localizado na cidade de Tatuí, interior de São Paulo a 129 km da capital. São realizados projetos pedagógicos de Intercâmbio Cultural Indígena, Educação Ambiental e Folclore Brasileiro. O acampamento oferece ao aluno a possibilidade de experimentar o convívio em grupo, diferentes culturas, aprender brincando num ambiente natural e saudável, longe da agitada e tecnológica vida urbana. Em seus projetos pedagógicos a Educação Ambiental e o Intercâmbio cultural com índios que proporciona a valorização da cultura através da Pluralidade Cultural e amplia a visão do aluno em relação a diferentes povos e etnias, fortalecendo sua identidade enquanto cidadão brasileiro.
Localização: Estrada do Queimado, S/Nº – Bairro Água Branca.
Telefone: (15) 99705-6883 – Informações e Reservas.
Site: www.sitiosantarosa.com.br 

Sítio do Carroção

Tempo de leitura 2 minutos

O Sitio tem como ponto forte a vocação para a Pedagogia. Conta com uma área de 692.000 m2, arquitetura colonial e o sítio tem capacidade para atender 300 pessoas. São mais de 150 funcionários diretos, chegando a mais de 200 em suas temporadas de férias, distribuídos entre inúmeras equipes.
Em 1969, é lançada a pedra fundamental: uma casa de madeira é construída pessoalmente por Luís Gonzaga Rocha Leite. Sem um propósito definido para o local, com apenas a intenção de proporcionar finais de semana agradáveis para a família e amigos, ele inicia a procura para a escolha do nome a ser escolhido para o sítio. No ano seguinte, um antigo carroção é encontrado por Luís Gonzaga durante filmagens publicitárias, é restaurado e torna-se o marco do empreendimento. A partir daí, todos os visitantes já denominam o local como “Sítio do Carroção”, cuja inauguração ocorre 1971, que tem sua ampliação em alqueires no ano de 1975 com a chegada de Maria da Graça (Gracinha) e Domingos Barone. Em 1976, o Projeto Aldeia é criado prevendo um imenso complexo hoteleiro em estilo normando e uma fortificação em estilo colonial
Em 1979, é o ano que define o futuro do Sítio do Carroção. Durante uma temporada de férias, Luís Gonzaga chama a atenção de todos para ouvir no rádio de seu Dodge as notícias de última hora (que, por brincadeira, ele havia gravado previamente): “E atenção – o Skylab, estação espacial da NASA está para cair em nosso planeta a qualquer instante e há grandes possibilidades de fragmentos caírem próximos à cidade de Tatuí”. Com sua grande experiência cenográfica, Luís Gonzaga cria um ambiente impecavelmente real, com efeitos especiais, tornando totalmente verídica aquela situação. A reação de todos foi de tamanha magnitude que a consequência dessa vivência foi inesquecível e com certeza estimulou um grande interesse pela área astronômica.
Conhecido como o único Resort pedagógico do Brasil, o Sítio do Carroção apresenta uma infraestrutura básica, totalmente subterrânea: água e esgoto, gás, eletricidade, telefonia e Internet. Conforto também é palavra-chave: por isso, as pousadas são aconchegantes, amplas e arejadas e foram planejadas para abrigar camas individuais. O restaurante oferece várias refeições por dia, chefiado por uma equipe que produz cozinha artesanal com equipamentos industriais. Mas toda essa infraestrutura impecável não estaria completa se não contasse com o fator humano: suas equipes de profissionais altamente capacitados fazem por merecer o prêmio que lhe foi conferido pelo Discovery Channel como o Melhor da América Latina.
Localização: Estrada Tatuí – Guareí, s/nº
Telefone: (15) 3305-2000 – Informações e Reservas.
Site: www.sitiodocarrocao.com.br

Mercado Municipal “Nilzo Vanni”

Tempo de leitura < 1 minuto

Mercado Municipal “Nilzo Vanni”,
O Mercado de secos e molhados foi construído em 1914 na gestão do prefeito Cândido José de Oliveira, a arquitetura foi inspirada nos trabalhos europeus do século XIX. As principais características são os grandes arcos e os tijolos aparentes. Esse é o segundo mercado municipal da história de Tatuí o primeiro foi inaugurado em 1880, e era localizado na Rua 11 de Agosto com a Rua Lúcio Seabra, mas era considerado impróprio não oferecia o conforto necessário aos mercadores. Assim, foi construído o segundo mercado municipal em uma área melhor localizada e com as condições de edificações necessárias.
Tradicional na cidade o mercado oferece uma diversidade de produtos como vegetais, frutas, grãos, roupas, brinquedos e comidas prontas. É uma mistura de sabores, de cheiros e de produtos diferentes.
Localização: Rua 7 de Abril, Centro.
Visitação Gratuita. Segunda a Sexta das 6h às 18h, Sábado das 6h às 17h e Domingo das 6h às 12h.

Centro Hípico de Tatuí

Tempo de leitura < 1 minuto

Localizado na Rod. Sen. Laurindo Minhoto, junto à rotatória do Ceagesp, o CHT é uma empresa sólida com boa reputação e credibilidade na região.

Conta com uma estrutura completa para realizar eventos e atividades diversas como eventos equestres, esportivos e sociais.

Localização: Rod. Senador Laurindo Dias Minhoto, km 24,5 – Tatuí/SP
Telefone: (11) 99401-2367
Site: www.centrohipicotatui.com

Usina Hidro Elétrica

Tempo de leitura < 1 minuto

Localizada no distrito de Americana a Antiga usina hidro elétrica Santa Adélia pertencia à Fábrica de Tecidos Santa Adélia, da Campos & Irmãos, e foi concluída nos anos de 1930. Ela retornou as operações em 2014, quando passou a realizar de ações monitoramento da qualidade da água e quantidade de espécimes da fauna e flora.

Localização: Estrada Municipal Moisés Martins, Distrito de Americana

Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Fátima

Tempo de leitura 2 minutos

A história se passa no ano de 1958, no antigo Bairro dos Oliveiras, hoje chamado de Santuário de Fátima. Viviam ali seu Salvador Nunes e sua esposa D. Benedita, já com três filhos; e sua irmã Edwirges, que logo se tornou a madre Querubina.

O casal vivia no arrendamento das terras do pai de Dona Benedita, em situação difícil, investiam tudo o que tinham em tratamentos médicos para curar umas das filhas chamada Maria José Aparecida Nunes de Oliveira, conhecida como Lia. Depois de muitas tentativas e decepções, seu Salvador ficou sabendo da vinda da imagem da Virgem peregrina Nossa Senhora de Fátima a Tatuí e decidiu visita-la. Aos pés da santa, havia uma caixa lacrada, onde eram depositados os pedidos, que iriam para Portugal e só lá seria aberta. Depositou nela seu pedido de ver a filha curada, fazendo uma promessa quase que impossível de se realizar, pois eles não tinham condições financeiras. Se fosse atendido e recebesse a graça de ter a filha curada, iria até Portugal buscar uma imagem da Virgem, igual à que veio a Tatuí. Depois que sua filha recebeu a cura, seu Salvador passou a fazer a novena do Sagrado Coração de Jesus e para Nossa Senhora de Fátima para conseguir um pedacinho de chão.

Ele conseguiu o dinheiro para comprar esse terreno, pagou 45 contos. Com o terreno comprado, trabalhou muito e conseguiu realizar seu sonho e pagar sua promessa. Para trazer a imagem de Nossa Senhora de Fátima de Portugal, pediu ajuda a sua irmã, que já era madre Querubina, que fez contatos em Portugal e mandou fazer a imagem. O escultor, porém, queria saber se faria Nossa Senhora de Fátima de mãos abertas ou arrumadas. A resposta veio para seu Salvador em um sonho: ele acordou com as mãos arrumadas.

A Imagem de Nossa Senhora de Fátima mede 1,10m de altura e é feita de cedro brasileiro, escultura de primeira mão com a melhor pintura a óleo e ouro fino. Foi despachada de Portugal para o Brasil no navio Bela Cruz. No dia 16 de outubro de 1960, a imagem chegou ao Santuário. Em 2 de fevereiro de 1961 foi colocada a primeira pedra (fundamental) importante para a igreja. Hoje a igreja está construída, com a linda e maravilhosa imagem que veio de Portugal, que em seu pedestal abençoa a todos do bairro e aos peregrinos que ali veem para pedir ou agradecer. Tudo isso devemos a um homem simples, que com muita fé, levantou uma Igreja e juntamente com ela, uma comunidade viva e transformadora. Há também a Sala dos Milagres construída em memória a Madre Querubina.

Localização: Rod. Senador Laurindo dias Minhoto, Bairro Santuário
Telefone: (15) 99613-5370 – Visitação gratuita. De Segunda a Domingo das 7h às 18h

Capela do Divino

Tempo de leitura < 1 minuto

Inicialmente uma pequena capela particular onde aconteciam as tradicionais festas do Divino, e utilizada por escravos alforriados.

Localização: Rua 15 de Novembro, 930 – Centro
Visitação de Segunda a Domingo das 7h às 19h (Missa às quartas-feiras às 19h30)

Igreja Matriz Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Tempo de leitura 2 minutos

No ano de 1829, Nossa Senhora da Conceição passa a ser a Padroeira de Tatuí, ano este que o Bispo Dom Manoel Joaquim Gonçalves de Andrade de São Paulo, deu licença para construção da Igreja que somente foi iniciada em 1884 ano de colocação da pedra fundamental da igreja, cuja solenidade foi presidida pelo tatuiano Cônego João Clímaco de Camargo.

A Santa Padroeira tem esse título litúrgico e é celebrada no dia 08 de dezembro. A festa de Nossa Senhora já existia no calendário romano, mas o dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora foi proclamado pelo Papa Pio IX em 1854 com a bula Ineffabilis Deus.

A Igreja com porte e estilo de catedral preserva detalhes arquitetônicos do século XIX. Os afrescos existentes em seu interior foram pintados pelo pintor piracicabano Mário Tomazzi, e impressiona pela beleza e estado de conservação. A Igreja Matriz foi a primeira obra da cidade a utilizar tijolos cerâmicos.

Em 4 de dezembro de 1927 foi inaugurado o relógio que está na torre da Igreja.

Em 8 de dezembro de 2006, foi eleita pelo povo como Patrimônio Histórico e Cultural da Cidade. No dia 9 de junho de 2007, foi assinado pelo então, prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo o decreto de tombamento da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, que passou a integrar o conjunto de prédios históricos do município.

A Igreja passou com grandes reformas no decorrer dos anos, e na comemoração dos seus 180 anos, o Padre Milton de Campos Rocha, fez o pedido a Diocese ao Bispo Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto para sua elevação a Santuário, onde foi concedida no dia 8 de dezembro de 2009.

O prédio é tombado pelo patrimônio histórico é considerado verdadeira relíquia da história da cidade.

Localização: Praça da Matriz, Centro
(15) 3251-4090 – Horários de Missas: Segunda a Sexta 7h, Quarta-feira 12h, Sexta-feira às 15h, Sábado às 8h e às 19h30 e Domingo às 8h, 11h e às 19h (fechado para visitação apenas nas segundas-feiras)

Capela de São João do Bemfica

Tempo de leitura 2 minutos

A Capela de São João do Benfica é o local onde surgiu o primeiro povoado de Tatuí, por volta de 1823, segundo registros históricos. Segundo o historiador Renato Ferreira de Camargo, a povoação de ‘Nossa Senhora Del Populo’ surgiu simultaneamente à fundação da Fábrica de Ferro do Ypanema, pelos irmãos Cabral, Manoel Fernandes de Abreu e Martins Garcia Lumbria. A povoação, pertencente ao distrito de Sorocaba, originou, mais tarde, a cidade de Tatuí.

Sabendo das atividades religiosas em Ipanema, a igreja transferiu o título de paróquia a uma capela construída pelo povo no sítio e povoado de ‘Tatuhú’. São João do Benfica foi condecorada com título de paróquia em 1818. No mesmo ano, os moradores de Tatuhú construíram nova capela, denominada São João Batista, no bairro do Benfica. Em 19 de agosto de 1817, o território de São João de Ypanema foi desmembrado de Sorocaba, e nele criada uma paróquia, tendo por matriz a capela de São João, de propriedade da fábrica de ferro. Em 22 de fevereiro de 1823, o padre Gaspar Antonio Malheiros, que assumira a capela dois anos antes, escolheu o território de Ypanema para a construção da igreja matriz. A imagem de São João Batista, porém, foi retirada pelos moradores de Tatuhú e colocados por eles numa capelinha do bairro. A capela foi reconstruída em 1970 por Laurindo Dias Minhoto, ano em que ele encontrou nos campos do Benfica uma velha cruz de madeira e, sob a qual, mandou construir a capelinha de palhas de indayá. Em sinal de protesto à decisão do padre – em transferir a matriz -, os moradores batizaram a capela de São João do Benfica, indicando que ali, onde Tatuí nasceu, deveria ficar a paróquia.

A Capela foi reconstruída em 1926, durante o governo Norman Bernardes, e reinaugurada com missa solene no dia, em comemoração ao centenário de Tatuí. Em 1971, foi reformada na gestão do prefeito Orlando Lisboa de Almeida.

Restaurada em 1999, com mão-de-obra da Prefeitura Municipal e doação de parte do material pela comunidade.

Localização: Estrada Municipal Moises Martins Km 4, Distrito de Americana
Telefone (15) 3259-4135 – Departamento Municipal de Turismo
Visitação com agendamento prévio

Estação Experimental de Agronomia de Tatuí “Engenheiro Agrônomo Armando…

Tempo de leitura < 1 minuto

Pólo Regional de Desenvolvimento Tecnológico Dos Agronegócios Do Sudoeste Paulista / Unidade De Pesquisa E Desenvolvimento De Tatuí.

Desde 1933, a Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Tatuí gera e transfere conhecimento científico e tecnológico para o agronegócio visando o desenvolvimento socioeconômico e o equilíbrio do meio ambiente. E conta com a maior coleção de bambus da América Latina, são 135 espécies ao todo. Chamada atualmente de Unidade de Pesquisa de Tatuí, tem cerca de 40 alqueires ou quase 970 mil metros quadrados (cada alqueire equivale a 24.200 m2) e pertence ao Estado. Além de ser um centro de pesquisas, é, também, um centro meteorológico.

Segundo a Aprobambu – Associação Brasileira dos Produtores de Bambu, a Estação mantém a maior coleção de bambu do Brasil, para o fomento aos micro, pequenos e médios produtores rurais de São Paulo.

No local, o visitante pode conhecer o monumento “O Semeador” do artista plástico e professor Josué Fernandes Pires que foi desenvolvido juntamente com seus alunos, além da sede da Estação que foi construída em 1930, a Casa de Bambu, o coreto e a Estação Meteorológica da Estação Experimental.

Localização: Rod. Mario Batista Mori, KM 10
Telefone: (15) 3251-4230 – Visitação gratuita com agendamento prévio

Aeroclube de Tatuí

Tempo de leitura < 1 minuto

Fundado em 1974 destina-se à prática e ao ensino das atividades ligadas ao vôo, em especial o Vôo em Planadores. É um dos maiores aeroclubes de vôo a vela do país em número de aeronaves, bem como em número de pilotos formados.

No ano de 1942, ocorre a construção do 1º hangar no Aeroclube de Tatuí.

Em 1974 foi criado um clube para o ensino e prática do vôo com planadores, o chamado, “Vôo à vela” na cidade de Tietê. Um ano depois, mantendo-se com o mesmo nome, o Clube transferiu-se para Tatuí e em 10 de fevereiro de 1983 passa a chamar-se Aeroclube de Planadores de Tatuí e em 1993 sofre a alteração para Aeroclube de Tatuí. Em 1986, foi declarado Entidade de Utilidade Pública Federal através da Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986 – Código Brasileiro de Aeronáutica.

Sua sede própria está situada no Aeródromo “Dr. Octávio Guedes de Moraes” de Tatuí e possui na sua estrutura física um conjunto de cinco hangares, posto de abastecimento de AvGás, centro de tecnologia, casa de guarda-campo, alojamento coletivo, restaurante e uma sede social dotada de muito conforto para uso dos pilotos e dos seus familiares.

Um 1993 ocorre o 1º Campeonato Brasileiro de Vôo a Vela em Tatuí.

Uma tradição do Clube é o encerramento das festividades de 11 de agosto, aniversário de Tatuí, com oferta de espetáculos aéreos e vôos particulares.
Tatuí pode se orgulhar de ser um dos pioneiros da aviação, no Estado de São Paulo.

Localização: Av. dos Aeronautas, s/n
Telefone: (15) 3251-4368
Visitação aos sábados e domingos das 9h às 17h

Parque Ecológico Municipal Maria Tuca

Tempo de leitura < 1 minuto

Atrações Naturais e Recreação. Tem uma área verde de 253 mil metros com uma maravilhosa paisagem de um lago e uma grande área para as práticas esportivas e educativas: dois campos de futebol society, duas caixas de areia (uma de vôlei e outra de futebol).É recomendável levar bolas e materiais próprios, pois a demanda é grande e pode não atender a todos. Há uma bela avenida para caminhadas, corridas e ciclismo.

Localização: Estrada dos Fragas, com acesso pelo Km 117,8 da Rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127)
Telefone: (15) 3305-8611 (Departamento Municipal de Meio Ambiente)
Visitação Gratuita. Sábados e Domingos das 9h às 17h

Busto de Ivo Zani

Tempo de leitura < 1 minuto

Situado na Avenida João Clímaco, em frente ao Estádio Dr. Gualter Nunes, foi inaugurado em 1955, criado pelo artista Lileu, em homenagem pela lealdade e entusiasmo a serviço do Esporte, uma travessa no Bairro Chácara Junqueira Salvaguarda a memória do vereador em 1º Legislatura (01/01/1948 – 31/12/1951) e 2º Legislatura (01/01/1952 – 31/12/1955).

Monumento em homenagem aos pracinhas da FEB de Tatuí

Tempo de leitura 2 minutos

O monumento em homenagem aos pracinhas da FEB de Tatuí que lutaram na Segunda Guerra Mundial está juntamente com o pavilhão das bandeiras nacional, estadual e municipal.

Inaugurada em novembro de 1990, na gestão de Wanderley Bocchi, o obelisco, concebido por Joaquim da Silva Campos, apresenta na parte central a representação de um olho de ciclope fixado no firmamento, que significa a esperança de melhores dias. O olho de ciclope é da mitologia grega. Os dois elementos laterais, duas mãos saindo do solo tatuiano, com os braços abertos no sentido de oração, agradece a Deus a volta de seus filhos e suplica para que cessem as guerras e a paz venha a reinar entre os povo. Esse monumento, presta homenagem aos vinte pracinhas tatuianos que lutaram na Europa, a fim de garantir democracia, liberdade e igualdade entre os seres humanos.

Expedicionários de Tatuí e região lutaram na guerra, considerada uma das páginas mais sangrentas da história recente da humanidade, que durante os seis anos de conflito, dizimou a vida de 50 milhões de pessoas. Um dos expedicionários de Tatuí, José Fernandes da Silva, o Juquita, morreu em combate no dia 29 de abril de 1945, na batalha de Collechio, na Itália, quando servia o 6º Regimento de Infantaria de Caçapava. O Obelisco contem a seguinte mensagem: “tributo de respeito e reconhecimento aos ex-combatentes tatuianos da FEB – Força Expedicionária Brasileira – que, na 2ª Guerra Mundial, com heroísmo e destemor, defenderam nos campos da Itália, os ideais de democracia e liberdade”. Em seguida, aparecem os nomes de Alcides Gianoti Ferrielo, Amador Vieira, Antônio Moroni, Benedito “Ramona” Araújo, Benedito Mendes de Almeida, Bolívar Conceição, Evilásio Camargo, Florindo Antunes Machado, Francisco Matias, Francisco Mendes da Costa, Frank Barbosa Carneiro, João Arruda Rodrigues, João de Oliveira, João Soares de Oliveira, Joaquim Bueno de Souza, José Fernandes da Silva, Paulo Lopes Rolim, Reinaldo Rolim, Roque Rosa e Silvio Silvério de Lima.

Monumento Alberto Seabra

Tempo de leitura 2 minutos

Médico fundador do laboratório paulista de Homeopatia, sendo considerado um dos maiores médicos homeopatas brasileiro de seu tempo.

Alberto de Melo Seabra nasceu em Tatuí, no dia 5 de fevereiro de 1872. Era filho do coronel Lúcio José Seabra e Ana Carolina de Melo Franco Seabra. Formou-se na Faculdade de Medicina da Bahia com 22 anos, em 1894, defendendo a tese Memória e a Personalidade, que versou sobre assuntos de psiquiatria. Essa monografia teve larga aceitação, e outros trabalhos sobre a mesma especialidade revelaram sua pujante e fecunda mentalidade, a ponto de, apesar de muito moço ainda, ser indicado pelo grande Franco da Rocha para ser médico do Hospital Juqueri. Alberto Seabra também trabalhou na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e ocupou a cadeira nº 74 da Academia de Medicina de São Paulo. O Instituto Pasteur teve em Seabra um dos seus principais iniciadores, ao lado de Arnaldo Vieira de Carvalho, Inácio Cockrane, Bittencourt Rodrigues e outros. Foi, igualmente, um dos fundadores da Universidade de São Paulo e da Academia Paulista de Letras, em 27 de novembro de 1909, da cadeira nº 12, seu sobrenome “Melo” encontra-se grafado com um só “l”. A conversão de Seabra à homeopatia deveu-se à cura de um filho pela terapêutica hahnemanniana, administrada pelos irmãos Manoel e Antonio Murtinho Nobre (1908) – ano luz para a homeopatia em São Paulo. Dessa mudança escreveria Seara de Hahnemann. Seabra, na gripe espanhola de 1918, colaborou com as autoridades sanitárias junto ao governo da época, por intermédio da “gripina”. Esse medicamento, conforme testemunho escrito do secretário de saúde da época, pôde salvar milhares de pacientes da morte. Alberto Seabra escreveu Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas (1972), com várias edições, estilo escorreito, linguagem leve e agradável. Escreveu em diversos jornais, entre os quais “O Estado de São Paulo”, “A Platéia”, além de revistas médicas e literárias. No Brasil, foi um dos primeiros cientistas a estudar a obra de Freud. Escreveu Fenômenos Psíquicos; Animais que Pensam; A Alma e o Subconsciente e O Problema do Além e do Destino, assuntos teosóficos, espíritas e na esfera do ocultismo; Versos Áureos de Pitágoras foram escritos por um Seabra que, apesar do seu multiforme saber, sentia necessidade de algo, necessidade de preencher o vazio que existia dentro de si, algo que lhe refrigerasse a alma. É também de sua lavra a obra Ensaios do Pan-Americanismo, em 1923. A morte colheu-o no momento em que se entregava a exaustivo trabalho sobre A
Bíblia de Jesus. Restam desse estudo alguns capítulos inéditos. Alberto Seabra faleceu em 11 de agosto de 1934, aos 62 anos de idade. Seu monumento consta a obra de László Zinner (1908-1977), artista húngaro de origem judaica radicado no Brasil desde 1946. No bairro de Santa Cecília em São Paulo um Monumento a Médicos Homeopatas, instalado na Praça Olavo Bilac salvaguarda a memória do tatuiano.

Monumento Nacif Farah

Tempo de leitura 2 minutos

A obra situada na Praça Paulo Setúbal, praça do Barão, em 2011 e foi especialmente instalada em frente a Unidade Escolar Barão do Suruí, pois naquele local se tornou o primeiro professor de música.

Nacif Farah (Nasceu em Capivari, 22 de agosto de 1902). Diplomou-se em primeiro lugar no curso de Farmácia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Ribeirão Preto. Sua Formação musical deve-se ao Cônego Oscar Sampaio Peixoto que procurou familiariza-lo com os segredos da Harmonia e o Contraponto. É o autor da obra sacra “Sete Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo na Cruz”, a três vozes mista (soprano, contralto e baixo) com acompanhamento de Órgão ou Harmônio, que foi premiada pelo Governo da Espanha e até hoje ela é executada durante as Cerimônias da “Semana Santa” em igrejas da França, Portugal, Espanha e Brasil. O revisor desta obra ficou extasiado diante dos profundos conhecimentos contrapontísticos demonstrados no trabalho do então jovem compositor, de 23 anos. Aos 16 anos compôs duas fantasias “Éster” e “Noêmia”, prenúncio de um compositor sinfonista. Lecionou Música nas cidades de Franca, Casa Branca e Mogi Mirim, todas do Estado de São Paulo. Em 1931, veio a Tatuí, sendo o primeiro professor de Música do Ginásio do Estado, hoje, E.E. “Barão de Suruí”. Organizou e regeu um Orfeão de muitas vozes, que conquistou prêmios pelo Estado de São Paulo. Foi o criador do Coral “Santa Cecília”, da igreja da Matriz Nossa Senhora da Conceição, sendo seu Organista e Regente. Casou-se em 1933, com a Professora Francisca Vieira de Camargo Farah. Toda a obra composta por Nacif Farah apresenta uma variedade rítmica, melódica, riqueza harmônica e trato contrapontístico. Nas suas composições musicais utilizou-se de poesias de Castro Alves, Fagundes Varela, José Lannes e Paulo Sílvio Azevedo. Nacif Farah faleceu na cidade de Tatuí em 15 de outubro de 1955, data em que se comemora o “Dia do Professor”. Na vila Juca Menezes há uma praça com seu nome. Há também, no Bairro Nova Tatuí, uma Via pública com seu nome. Na Avenida Cônego João Clímaco há um chafariz que também leva o seu nome e o Hino de Tatuí salvaguarda seu nome com expoente musical que brilhou no estrangeiro.

Monumento Seresteiros

Tempo de leitura < 1 minuto

O Monumento aos Seresteiros foi instalado em 2013 na Praça Manoel Guedes, praça do Museu. O Monumento é composto por sete personalidades que fomentaram o gênero Seresta na Capital da Música: Noel Rudi, Zé Fiuza, Ditinho Rolim, Joãozinho do Irineu, Osmil Martins e Raul Martins, juntamente está o Monumento do ex-prefeito e poeta Paulo Ribeiro que, por meio de uma noite de seresta, no ano de 1967 numa roda de amigos, que executavam músicas do cancioneiro popular, que surgiu o sentimento do povo tatuiano em transformar Tatuí na Capital da Música, sentimento que se torna lei estadual em 2007.

Monumento João Baptista Del Fiol

Tempo de leitura 2 minutos

A obra situada na Praça da Matriz foi especialmente instalada em 2009 em frente ao Hotel Del Fiol, local que inspirou o músico Tatuiano a conquistar a Escola de Música (Conservatório de Tatuí) e foi restaurada no ano de 2018 com o apoio da Família Setúbal.

João Baptista Del Fiol – Nascido em Tatuí, no dia 28 de novembro de 1908, filho de Antônio Del Fiol e Cesira Del Fiol, foi casado com Lígia Vieira de Camargo Del Fiol e teve um filho: Firmo Camargo Del Fiol. Professor, João Del Fiol era autodidata e conhecido pela sonoridade perfeita e grande talento no trato com seu instrumento. Dedicou sua vida à música e há registros na história da cidade, de que foi o principal incentivador da instalação do Conservatório de Música em Tatuí. Foi ele quem solicitou ao deputado estadual Narciso Pieroni, na década de 50, a ajuda estadual para concretizar a criação de uma pequena escola de música em Tatuí. Em uma formatura da Escola Industrial, em que estava presente Narciso, Del Fiol levou um pequeno grupo de estudantes, alunos seus de violino e violoncelo, para tocarem, fazendo com que Narciso ficasse bastante entusiasmado, pois não esperava ouvir, em Tatuí, peças de Mozart, Haendel e outros famosos compositores, com desempenho tão soberbo. João Del Fiol, também, tocou neste dia de forma brilhante, a “Área da Quarta Corda“, de Bach. Terminada a festa, foram todos para o Hotel Del Fiol, onde, costumeiramente, se reuniam as pessoas para longas conversas. Durante o bate-papo, o deputado perguntou o que poderia ser feito por Tatuí. Um dos presentes à mesa, João Del Fiol, sugeriu a construção de um conservatório, e assim nasceu a ideia. A partir daí, em 1951, foi criada a Associação Cultural Pró-Música, com o objetivo de desenvolver a área musical na cidade. Durante campanha política, Lucas Nogueira Garcez, que viria a se eleger governador do Estado, se comprometeu com os políticos da cidade para que fosse instalado o Conservatório. E, em 11 de agosto de 1954, ele era instalado. Antes do Conservatório a vida musical em Tatuí girava em torno de Del Fiol, Bimbo Azevedo e Nacif Farah. Estes três chegaram a tocar juntos, em pequenas orquestras de salão. As melodias eram tocadas no Club Tatuhyense. João Del Fiol lecionou violoncelo no Conservatório de Tatuí até quase o final da vida. Aos 90 anos abandonou as aulas em função de problemas de saúde, mas confessava entre amigos que sentia muita falta do contato com os jovens músicos. Ele faleceu em 3 de dezembro do ano 2000, aos 92 anos. Em sua homenagem, por iniciativa do maestro Antônio Carlos Neves Campos, o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí criou em seus quadros a Orquestra de Cordas “João Del Fiol”, que reúne jovens músicos.

Monumento Bimbo Azevedo

Tempo de leitura < 1 minuto

A obra situada na Praça da Matriz foi especialmente instalada em 2009 em frente onde nasceu, viveu e morreu o compositor e músico Tatuiano e foi restaurada no ano de 2018 com o apoio da Família Setúbal.

Octávio de Azevedo nasceu em Tatuí em 30 de março de 1888 e se tornou popularmente conhecido como Bimbo Azevedo, tendo, desde a infância, apresentado interesse pela música. Tocou bandolim, cavaquinho, piano, violão e violino. Aos 21 anos de idade deu início a composição de músicas, com a sua famosa valsa “Dirce”, que alcançou grande sucesso no Brasil. A mesma música ganhou 1º lugar na categoria “Melhor Música Popular e do Estrangeiro”, no Chile, e ficou entre as 10 primeiras classificadas no Concurso de Valsa, em Hamburgo, na Alemanha. Na década de 20, participou de programas de música nas rádios Educadora, de São Paulo, e na Rádio Record. Já na década de 30, tocava nas sessões de cinema mudo da Cidade Ternura. Bimbo foi o 1º violino, ou Spala, da Orquestra Sinfônica do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí. Suas canções contam com originalidade da melodia, que buscava a perfeição na harmonia, e uma notável identificação musical com gosto popular da época. Devido a sua extraordinária percepção musical foi luthier, trabalho que praticava em sua residência, fabricando violinos e arcos. Na ocasião de seu falecimento, Bimbo deixou inacabados 17 violinos. Além da imortalidade por meio de suas canções, Bimbo Azevedo também está presente no Hino a Tatuí e no monumento situado na Praça da Matriz. A casa onde nasceu, viveu e morreu, localizava-se na esquina da Praça da Matriz com a Rua Coronel Aureliano de Camargo, onde se encontram situados os painéis que narram a sua história de vida.

Monumento “Maestro”

Tempo de leitura < 1 minuto

A obra situada na Avenida Coronel Firmo Vieira de Camargo escolhida especialmente devidamente a proximidade da Unidade Sede do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí, foi inaugurada no ano de 2008 e foi restaurada no ano de 2017 com o apoio da Família Setúbal.

O que é um maestro? Quando alguém rege uma orquestra por exemplo, esse alguém é chamado de maestro. A função do maestro é especificamente uma: conduzir. Conduzir uma banda, um coral, uma orquestra como antes mencionado… enfim, conduzir qualquer tipo de grupo musical. Dirigir e coordenar a função de cada músico cabe ao líder principal, denominado então de maestro.

Escola Municipal de Ensino Fundamental “João Florêncio”

Tempo de leitura < 1 minuto

Foi o primeiro Grupo Escolar de Tatuí. Esse grupo foi constituído por dois outros que tiveram funcionamento à parte, o da seção masculina e o da feminina. O grupo escolar masculino foi criado por deliberação do Conselho Superior, em 4 de outubro de 1895, e instalado em 27 de novembro do mesmo ano, anexando-se para isso as escolas masculinas então providas. O grupo escolar feminino foi criado por aviso de 11 de outubro de 1897, que autorizou o professor Cesário Lange Adrien, inspetor do 37º distrito, a reunir as escolas destinadas às meninas e dirigir interinamente o estabelecimento. A instalação aconteceu em 25 de outubro de 1897, com a anexação das escolas femininas. O Grupo Escolar de Tatuí, com ambas as seções, foi instalado em 21 de março de 1898, quando foi dispensado o diretor da seção masculina e nomeado diretor desse grupo o professor Cesário Lange Adrien. Data de 1909 a construção de um prédio próprio, que esse edifício fez parte de um conjunto de projetos para 4 escolas, de autoria de Manuel Sabater.

Pelo alto valor histórico na evolução educacional do Estado de São Paulo, juntamente com outras 122 escolas públicas da capital e do interior, seu prédio foi tombado pelo Conselho do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (CONDEPHAAT).

Localização: Rua Cel. Aureliano de Camargo 21, Centro

Escola Estadual Barão do Suruí

Tempo de leitura < 1 minuto

A praça é popularmente conhecida como “Praça do Barão”, por em seu entorno está localizada a Escola Estadual Barão de Suruí. O prédio foi construído no ano de 1917, padrão dos grandes grupos escolares, com acréscimo de espaços para biblioteca e laboratório, com autoria de Carlos Rosencranz. Exemplar de uma das tipologias de edificação escolar implantadas durante a Primeira República pelo Governo do Estado de São Paulo, como parte da política pública de amplos investimentos feitos para promover a educação básica da população, ministrada fundamentalmente nos Grupos Escolares, e a formação adequada de professores, nas Escolas Normais. As construções resultaram de projetos e obras realizadas pelo Departamento de Obras Públicas (DOP), estrutura ligada à Secretaria da Agricultura responsável por criar e manter a infraestrutura paulista.

Tombado por meio da resolução 60, de 21/07/2010 pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico São Paulo.

Localização: Rua Maneco Pereira 515, Centro

Avenida Cônego João Clímaco

Tempo de leitura < 1 minuto

Praça Olívio Junqueira – Praça localizada entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo de Tatuí, dividida pelo Chafariz “Professor Nacif Farah”.

Atualmente, situa-se na Avenida: a Prefeitura de Tatuí, Praça Olívio Junqueira, Câmara Municipal, Cemitério Cristo Rei, Unidade II do Conservatório de Tatuí (antigo prédio do Fórum), Estádio Dr. Gualter Nunes, Busto de Ivo Zani, Santa casa de Misericórdia de Tatuí e a Capela da Santa Casa.

Em seu trajeto podemos apreciar o Chafariz “Professor Nacif Farah”, o Busto de Ivo Zani, o Cruzeiro em frente à entrada do Cemitério e o Monumento dos Três Poderes.

No início era conhecida como Rua Boa Vista, em referência à visão que se tinha dos campos do Morro Alto. No ano de 1893, a mando do então intendente, o Dr. Francisco de Salles Gomes, foi plantado naquele logradouro um grande número de mangueiras, pois, segundo seu entendimento como médico, as folhas das mangueiras produziam um oxigênio propício à cura do bócio, doença comum por muitos anos em Tatuí. Com o Falecimento do Cônego João Clímaco de Camargo acorrido no ano de 1905, a avenida passou a ter seu nome. Mas devido às mangueiras, o povo passou a chamá-la de Avenida da Mangueira.

Praça “Ayrton Senna da Silva”

Tempo de leitura < 1 minuto

Localizada na vila Dr. Laurindo, a praça “Ayrton Senna da Silva” é um excelente espaço para atividades esportivas e culturais, sua estrutura conta com academia ao ar livre, brinquedos, quadra poliesportiva, quadra de areia, cancha de malha, quadras de tênis e de badminton e uma pista de caminhada de 1050km.

Ayrton Senna da Silva de Tatuí

Na praça há um busto em homenagem ao grande piloto Ayrton Senna da Silva devido a afinidade entre Ayrton Senna da Silva e Tatuí que teve início ao final da década de 1980 quando o tricampeão de Fórmula 1 adquire uma gleba de terra de 80 alqueires da família Teles, na Rodovia Municipal Antonio Teodoro da Silva, nome do avô do piloto. Denominada de Fazenda Dois Lagos, em dezembro de 1991 com a inauguração do kartódromo dá projeção mundial a Tatuí. Ayrton Senna, quando não estava em suas atividades no mundo do automobilismo frequentava a Fazenda, era seu refúgio. Recebeu o título de Cidadão Tatuiano, e recebeu pessoalmente a honraria outorgada pelo Poder Legislativo. Faleceu em 01 de maio de 1994 deixando órfão os tatuianos que dedicaram um Projeto Educacional em seu nome – Projeto NEBAM – Núcleo de Educação Básica Municipal “Ayrton Senna da Silva”.

Localização: Rua 7 de Setembro, vila Dr. Laurindo

Praça do Carroção (Bairro Valinho)

Tempo de leitura < 1 minuto

A praça tem várias ilhas com diversos tipos de brinquedos desenvolvidos ecologicamente com eucaliptos, conta com playground e academia ao ar livre com mais de 25 equipamentos é uma ótima opção de lazer para crianças, famílias e também para os idosos.
Localização: Av. Zilah de Aquino

Praça Paulo Setúbal (Praça do Barão)

Tempo de leitura < 1 minuto

Onde se Localiza a Escola Estadual Barão de Suruí, Escola Municipal João Florêncio, Igreja do Rosário e a Casa da Família da Atriz Vera Holtz.

A Praça Paulo Setúbal, leva o nome do escritor e romancista tatuiano imortalizado pela Academia Brasileira de Letras, Paulo de Oliveira Leite Setúbal que escreveu várias obras, destacando-se: “Alma Cabocla”, “A Marquesa de Santos”, “As Maluquices do Imperados”, “Confiteor”, entre outras. O Busto de Paulo Setúbal, esculpido por Luís Morrone (1906-1998), situa-se entre as esquinas da Rua 13 de fevereiro e Rua José Bonifácio. Atualmente, a praça do Barão se tornou o “Quintal do Saber”, apresentando diversas curiosidades do entorno da praça, salas de aula ao ar livre, além da revitalização da histórica “Rosa dos Ventos”, inscrita em pedra portuguesa no solo, e é gerida pela UNIMED-Tatuí.

A Igreja do Rosário que já foi sede do velório púbico de Tatuí por muitos anos.

Praça Martinho Guedes (Jardim da Santa)

Tempo de leitura < 1 minuto

O Patrono da Praça Matinho Guedes Pinto de Mello é um português que se instalou em Tatuí devido ao plantio de algodão a ser utilizada pela indústria têxtil que almejava construir na cidade.

A Praça inaugurada em 1910 é popularmente conhecida por “Jardim da Santa” por ter uma linda escultura em pedra, efígie da “Santa”, doada pelo embaixador José Carlos de Macedo Soares, em representação a Nossa Senhora da Imaculada Conceição, padroeira de Tatuí, feita por Luiz Morrone. A sua inauguração deu-se no dia 20 de Agosto de 1945, quando era prefeita a Professora Chiquinha Rodrigues.

O “Pinheirão” da Praça é enfeitado para o Natal todos os anos desde 1956 em Tatuí, pelo então conhecido Clube 17e se tornou ponto turístico e um dos símbolos da cidade, se tornando um patrimônio de Tatuí. O pinheiro já chegou a ter 50 metros e chegou a ser a maior do Brasil no passado, mas na década de 80, um raio a atingiu e a deixou pela metade. Desde então, muita coisa mudou no município, mas a tradição de enfeitar a árvore com luzes e objetos é mantida há 59 anos. O Pinheiro de Natal faz parte do cenário tatuiano.

O Centro Cultural de Tatuí “Professor Mauro Antônio Mendes Fiusa” onde situa-se a Sala de exposições de Artes Visuais, o Teatro e a Secretaria de Cultura e Turismo está localizado de fronte a Praça.