Uma cidade que encanta ...

“RODA DE CHORO” SERÁ NO MUSEU “PAULO SETÚBAL” E TERÁ COMO CONVIDADA ESPECIAL A MUSICISTA MORGANA MORENO

A partir deste 2º semestre de 2023, o Museu Histórico “Paulo Setúbal” sediará o Projeto “Roda de Choro”, realizado pelo Clube do Choro do Conservatório de Tatuí – pertencente a Secretaria de Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerido pela Sustenidos Organização Social de Cultura -, e pela Prefeitura de Tatuí, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo e Lazer.

A estreia neste novo local será na próxima terça-feira (29/8), às 17h, e terá como convidada especial a musicista, flautista e compositora Morgana Moreno.

            O Projeto “Roda de Choro” – que é gratuito ao público – tem o objetivo de reunir os amantes do Choro e proporcionar momentos de boa música, diversão e compartilhamento de conhecimento sobre esse gênero musical.

            Leve seu instrumento e participe! O Museu Histórico “Paulo Setúbal” está situado na Praça Manoel Guedes, n° 98, Centro.

SOBRE A MUSICISTA

            Morgana Moreno é flautista e compositora, nascida em 31 de março de 1990, em Salvador (BA). Foi vencedora do Festival da Educadora FM 2014, em Salvador, na categoria de “Melhor Música Instrumental” com sua composição “Baião”, e 1º Prêmio no Concurso Internacional Leopold Bellan 2013, em Paris, na categoria World Music/Jazz, com o duo Morgana Moreno & Marcelo Rosário.

            É bacharel em Flauta pela Universidade Federal da Bahia e Mestra em Música (Flauta Jazz) pela Hochschule für Musik und Tanz Köln, na Alemanha. Ensinou no CODARTS: Universidade de Artes de Roterdã e na EPM Holanda: Escola de Choro em Roterdã.

            Atua como flautista e compositora e possui dois discos gravados na Alemanha, com os Projetos “Morgana Moreno & Marcelo Rosário” e “4teto e Samba Jazz Clube”, e um disco no Brasil, lançado em 2020, com o duo “Morgana Moreno & Marcelo Rosário”.

            Morgana começou na música aos 9 anos de idade. Se especializou em Choro – uma de suas principais influências – e, ainda em Salvador, entre os diversos grupos que participou, foi integrante do tradicional grupo regional baiano “Os Ingênuos”.

            Se apresentou em festivais e palcos de grande importância no Brasil, tais como o Teatro Castro Alves e o Clube do Choro de Brasília, e também na Europa: Alemanha, França, Holanda, Suíça, Portugal e Espanha.

            Pela sua versatilidade musical, atuou com as maiores orquestras do Estado da Bahia: YOBA (Neojibá), OSBA e OSUFBA, como flautista e flautinista e, também, como solista.