Uma cidade que encanta ...

CICLO DE CULTURA TRADICIONAL ACONTECE NO MUSEU HISTÓRICO “PAULO SETÚBAL”

Neste sábado (30/9), das 17h às 22h, o Museu Histórico “Paulo Setúbal”, da Prefeitura de Tatuí, receberá o Projeto Ciclo de Cultura Tradicional. O evento faz parte das Oficinas Culturais – um programa da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis -, e conta com a correalização da Prefeitura de Tatuí, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo e Lazer.

O Ciclo de Cultura Tradicional promove reflexões sobre tradições caipiras, indígenas, afro-brasileiras, caiçaras e migrantes, propiciando um espaço contínuo de compartilhamento de saberes e convivência entre mestres, pesquisadores, agentes culturais e público.

A cada edição do Projeto, que é realizado desde 2019, são convidados diferentes realizadores audiovisuais – ligados aos temas, tradições e/ou territórios abordados – para a criação de documentários de curta-metragem com argumentos provocados pela proposta do Ciclo de explorar conexões entre passado, presente e futuro.

O evento extramuros terá atividades na Praça Manoel Guedes, n° 98, Centro, com acessibilidade em Libras.

PROGRAMAÇÃO

Confira as atrações do Ciclo de Cultura Tradicional em Tatuí.

– 17h30, grupo “Seresteiros com Ternura”. Com foco na difusão da seresta, o tradicional grupo tatuiano coordenado por Maria Inês Camargo apresentará um repertório composto por samba-canção, samba-choro, boleros, valsas, chorinhos e modinhas.

– 18h30, intervenção “Contos Caipiras”, da Nossa Trupe Teatral. Com a simplicidade do cotidiano do interior, os caipiras Dito, benzedeiro da vila, e Tonho, dono da venda, se encontram para jogarem conversa fora e falarem sobre Zé, violeiro que ficou de aparecer e não chega.

– 19h, filme “Raiz e Alma – Um registro da cultura do cururu em Tatuí”, direção de William Lima, documentário, 20 minutos. Uma das mais autênticas manifestações da cultura caipira do interior paulista é o Cururu: canto de improviso que atravessa séculos. O filme registra depoimentos de membros do grupo de cururueiros tatuianos e apoiadores que lutam para manter esta tradição viva e ativa na região. Após a exibição, haverá bate-papo com Cleonice de Andrade, Ivan Camargo e Jaime Pinheiro, com mediação de Antonio Filogenio de Paula Júnior.

– 20h30, intervenção “Trocação de Histórias”, da Nossa Trupe Teatral. Depois de contarem seus causos, Dito e Tonho fazem uma roda de prosa com o público, ouvindo e partilhando histórias da gente de Tatuí e de tantas outras paragens fincadas na tradição caipira.

– 20h40, apresentação “Encontro de Cururueiros: Buenão, José Pinto & Rubinho Véio”. Em Tatuí, é impossível falar de Cururu sem mencionar Buenão, José Pinto e Rubinho Véio. Sinônimos de Cururu, esses três cantadores de improviso atravessam e inspiram gerações. No Ciclo de Cultura Tradicional, se encontram para um duelo que promete ser histórico.

PARTICIPANTES

– Antonio Filogenio de Paula Júnior é diretor de Educação e Cultura da Casa de Batuqueiro e membro do grupo de Batuque de Umbigada de Piracicaba, Capivari e Tietê. Graduado e pós-graduado em Filosofia, é também mestre e doutor em Educação.

– Buenão nasceu na zona rural de Tatuí, em 1946. Se interessou pela tradição do Cururu aos 17 anos de idade e, de lá para cá, cantou em diversos locais e eventos, somando 60 anos como cururueiro. É bicampeão do Torneio Estadual de Cururu em Tatuí (2012 e 2013).

– Cleonice de Andrade é empreendedora tatuiana do turismo rural e estudante de Serviço Social. Coordenou projeto de resgate de tradições caipiras e tropeiras por 11 anos, com o grupo Tropeirinhos do Rancho.

– Ivan Camargo é jornalista com pós-graduação em Comunicação Social e especialização em Dramaturgia. Editor de obras literárias e especiais jornalísticos, desde 1995 edita “O Progresso de Tatuí”, jornal fundado em 1922. Autor de romances, livros de contos, peças teatrais e roteiros audiovisuais.

– Jaime Pinheiro, professor e pesquisador, é graduado em Educação Artística, com habilitação em Artes Plásticas e especialização em Design. Desde 1990 atua como cenógrafo no Conservatório de Tatuí, projetando e executando cenários para concertos, shows, festivais e teatros.

– José Pinto, tatuiano nascido em 1945, escreve e canta Cururu há mais de 50 anos. Já colaborou com vários artistas e duplas caipiras, como Lourenço & Lourival, Cacique & Pajé, Tião do Carro & Santarém, entre outros. Em 1994, gravou o LP “O Melhor Cururueiro da Região”.

– Nossa Trupe Teatral, grupo sediado em Tatuí desde 2011, tem verticalizado suas pesquisas em áreas como a linguagem do palhaço, a relação corpo e voz e em processos vinculados à pedagogia do fazer teatral e à cultura caipira. Seu repertório traz trabalhos como o espetáculo “Treis Causo e o Resto é Prosa”.

– Rubinho Véio começou a cantar aos 60 anos de idade, em 2010. Desde então, o tatuiano tem ganhado prestígio e se apresentado em palcos do Médio Tietê e de outras partes do Estado de São Paulo.

– Seresteiros com Ternura, criado em 2002, realiza apresentações em bailes e eventos comemorativos de Tatuí e Região. É composto por Maria Inês Camargo (coordenação, voz e afoxé), Carlinhos (timba), Léo da Sanfona (acordeon), Paulo Rita (cavaquinho, violão e viola) e Pedro Adilson Pavanelli (violino).